quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

A recta final

Em Viagem - Dia 15

O último dia começou de forma relaxada. Após o pequeno-almoço no hotel fomos de encontro às ruas serenas de Asilah, inundadas por um sol imenso mas temperatura amena equilibrada pela próximidade do mar. Regressamos ao interior das muralhas para uma última incursão naquelas ruas estreitas onde, hoje com o sol mais alto, as cores reluziam com mais vida.
Seguimos depois em direcção a Tanger onde haveriamos de adquirir o bilhete de saída.
A concorrencia é feroz na venda de bilhetes para os ferrys. Em contraste com o lado espanhol onde nos dirigiamos ao balcão que queriamos, sem qualquer tipo de assédio, do lado marroquino são várias as tentativas de venda. Ao entrar no acesso ao porto então são vários os vendedores marroquinos que nos interpelam e nos fazem parar o carro para que lhes compremos os bilhetes sempre com a oferta de
descontos "especiais".
A aquisição do bilhete contabiliza o ingresso da viatura e mais um por cada pessoa, pelo menos em Espanha é assim. Os descontos marroquinos, viriamos a constatar, consistem em "oferecer" bilhetes de uma ou mais pessoas baseando-se no pressuposto que, à entrada para o barco ninguém presta muita atenção ao que está discriminado no bilhete.

Embarcamos no ferry rápido para Tarifa. A saída foi retardada por uma avaria no sistema de ancoragem mas a viagem foi rápida. As formalidades na fronteira espanhola também não demoraram muito, apesar do controlo apertado que é efectuado na tentativa de encontrar "coisas que fazem rir".

E pronto, já estavamos de volta à Europa. Apesar de termos ainda mais de 900 km pela frente, a proximidade de casa parecia ser muito maior.
Com mapas de Marrocos mas sem mapas de Espanha nem placas indicadoras muito esclarecedoras, ficamos com a sensação de ter efectuado alguns quilometros a mais e de termos andado "ligeiramente" perdidos na tentativa de encontrar o rumo para Portugal.
Mais cedo ou mais tarde entramos na direcção correcta e ainda fomos a tempo de jantar em Faro no mítico restaurante-tasca "Chalavar".

E assim, pela madrugada dentro, 15 dias e mais de 4.500 km depois, chegavamos ao o nosso ponto de partida - o
Porto.

@http://acaminhodemarrocos.blogspot.com

Fotos - Partida de Tanger



domingo, 13 de dezembro de 2009

Asilah

Em Viagem - Dias 14 e 15

Asilah foi conquistada pelos Portugueses em 1471 que aqui constituíram um dos seus principais portos em Africa e construíram as muralhas que ainda hoje delimitam a medina.
Em 1578 D. Sebastião partiu de Asilah para a batalha de Alcácer-Quibir, da qual não regressou, e Portugal acabaria por perder o porto para os Espanhois que ali permaneceram até 1691.

A Asilah dos nossos dias é uma cidade extremamente bonita e limpa.
As suas casas de toscos acabamentos, separadas por ruas estreitas e impecavelmente pintadas de banco e azul, espreitam o mar por cima das muralhas Portuguesas fazendo-nos pensar que fomos transportados para uma ilha grega.
É também conhecida pela cidade dos artistas. Aqui encontramos várias galerias de pintores e também diversas pinturas em várias paredes da cidade.
Actualmente é também um dos destinos de verão predilectos de Marroquinos e Espanhóis. A população passa de uma média de 12 mil pessoas durante o ano para 110 mil durante o verão.
A presença dos Espanhóis faz-se sentir não só pelo idioma que vamos ouvindo pelas ruas fora mas também nos restaurantes onde facilmente se encontram as tapas e as paelhas.
São também vários os Espanhóis que já se estabeleceram aqui gerindo pequenos noteis e restaurantes.

Como sabem segundo a religião os Árabes não podem beber bebidas alcoólicas e em Marrocos os bares e restaurantes que as vendam são poucos pois necessitam de uma licença para o efeito. Às refeições já nem contavamos com isso mas aqui, ao jantar, foi diferente:
- "Que querem beber?" perguntam-nos no restaurante, "querem cerveja?" continuou
- "Sim, mas vocês servem bebidas alcoólicas?" perguntamos nós
- "Sim, mas temos de disfarçar..."
E então vieram para a mesa 3 copos cheios de cerveja acompanhados de 3 garrafas vazias de "Sprite"!

Fotos - Asilah















terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Larache

Em Viagem - Dia 14

Já na recta final fizemos o nosso percurso pela costa atlântica de Rabat até Asilah.
Pelo caminho havíamos de parar em Larache.
É uma pitoresca cidade à beira-mar plantada onde se juntam uma costa rochosa ao largo da cidade, um extenso areal para norte, os tradicionais edifícios e mercados árabes e as influencias espanholas.
Essas são resultado da ocupação que "nuestros hermanos" impuseram no século 17 e saltam aos olhos em algumas edificações mas sobretudo na "Place de la Liberation". É tal e qual uma típica "plaza" espanhola mas sarapintada com recortes árabes.

Para trás do grande arco que se ergue ao centro da praça, entramos no mercado que, sendo pequeno, não podia ser mais típico e desprovido de qualquer espectativa turística: bugigangas, fruta, legumes, carne e sujidade, muita sujidade...

Para um momento de relax, se tomar um chá de menta na praça não for suficientemente convidativo, pela marginal fora encontramos vários cafés, restaurantes e gelatarias.

Fotos - Larache










domingo, 8 de novembro de 2009

Fotos - Rabat - Mausoleu e Torre














Fotos - Rabat